ni la tierra ni las mujeres

Por ser território de conquista
de riqueza exploração
afetiva
segurar no lombo o choro de quando a vida chove sendo dia e também morte
Levantar grão em encosta acimentada contendo
nossa história em comum do início ao agora
Não me encosta
é tóxico o chão da gente
forçada a esquecer o que é amar até
Pelo silêncio dos homens
que diziam amar a terra.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s