queridas poetas lésbicas

estivemos unidas ontem em um evento magnífico de poesia, muitas muitas mulheres horas poucas após uma aprovação estilhaçante. alí, onde reivindicavam a força resistora dos úteros como punhos erguidos, foi novamente contabilizada a palava “retrocesso” mas dessa vez tive preguiça de contar e não contei.
repita comigo tempos estranhos
repita comigo tempos sombrios

era um evento temático. mulheres poetas lésbicas.
repita comigo que os homens não valorizam nossa escrita
repita comigo que sofremos assédio

todas as perguntas permitidas às queridas eram sobre como
homens não valorizam nossa escrita, é muito difícil sair de casa?
repita comigo em silêncio que você não pode falar de poesia
repita comigo em silêncio que eu esqueci o que você escreve

quem gosta ali? lembro um outro esquecimento:
uma delas esqueceu de levar seu próprio livro.
repita comigo uma platéia inteira rindo

uma livraria lotada muitos úteros vamos ler o quê?
esqueci também. raras escrituras vocalizadas pelos desejos do ventre

repita comigo eu luto pelo meu direito de sentir desejo
repita comigo uma moça pegou o microfone apresentou seu coletivo de luta
repita comigo ela já sabe e disse num mundo que odeia mulheres
amar mulheres é um ato revolucionário
repita comigo uma platéia inteira assobios

uma delas esqueceu de seus lampejos de vida-livro e pediu desculpa
por não viver em ativismo
(mas não sem antes pedir que não filmassem esse terror de confissão
e prometeu, depois, que o faria sempre que pudesse)

a imagem que se cola ao sexo lésbico é tesoura.
uma tesoura tem muitas funções
e a que menos tem é a de resistir tornando estruturas preservadas
repita comigo mulher artista resista
repita comigo jargões feministas

quando a poesia desliza e não resiste nenhuma mulher
pode dizer poesia
uma livraria lotada (e atraindo nicho)
horas após estilhaçarem todos os úteros resistentes e
quebradiços
quando a gente se calou e esqueceu que a poesia também
quebra vidraças

 

Este texto foi originalmente publicado aqui (Facebook)

Leia também: manual iniciante: para tocar um corpo-buceta

Anúncios

3 comentários sobre “queridas poetas lésbicas

  1. Chorrindo aqui
    Tantas mulheres úteros
    Em punhos poesia
    Tantas mulheres unidas
    Eu poeta artista mulher preta
    Meu ativismo é silencioso
    Noturno de insônia
    Gratidão por seu poema escrita de útero coração .
    – felicidade sim 🌻 🌹 🌸 🍀

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s